Arquivo da tag: amenidades

Jack Reacher: O Último Tiro Torrent – BluRay Rip 1080p Dual Áudio (2012)

Novo Anuncio

Jack Reacher - O Último Tiro Torrent - BluRay Rip 1080p Dual Áudio

Sinopse: Jack Reacher: O Último Tiro Torrent – BluRay Rip 1080p Dual Áudio (2012) Um crime brutal foi cometido contra cinco pessoas ao mesmo tempo e um atirador de elite, veterano de guerra, foi acusado pelos assassinatos sem muita chance de defesa. Durante o interrogatório, ele cita apenas o nome de Jack Reacher (Tom Cruise), um ex-combatente com inúmeras condecorações, dado como desaparecido para o governo e autoridades. Só que ele aparece do nada e resolve investigar por conta própria o tal mistério. Sua teoria é que existe uma ligação entre as mortes e o verdadeiro responsável tem outros interesses, procurando desviar a atenção. Só que Jack não desiste da verdade e tem um jeito especial de fazer a sua justiça, doa a quem doer.

»INFORMAÇÕES«
Filme: Jack Reacher: O Último Tiro
Formato: MKV
Qualidade: BluRay Rip
Áudio: Português / Inglês
Legenda: Português
Servidor: Torrent
Gênero: Ação / Crime / Thriller
Tamanho: 2.13 GB
Qualidade de Áudio: 10
Qualidade de Vídeo: 10
Lançamento: 2012
Duração: 2h 10 Min.

BLU-RAY RIP 1080p DUAL ÁUDIO:

DownloadDownload 2ª Opção

Homem sem dor que mastigou parte da língua é alvo de estudo

O americano Steve Pete nasceu com a desordem congênita conhecida como analgésia. Ele é fisicamente incapaz de sentir dor física.

Steve Pete (BBC)

Steve Pete afirma que não sentir dor contribuiu para lesões.

Ele não precisa de anestesia quando extrai um dente e nunca sentiu dor de cabeça na vida.

Steve Pete agora está participando de um estudo sobre a sua condição e a sua experiência é uma das quatro que é tema de uma exposição que está sendo exibida no Science Museum, de Londres.

A condição de Steve veio à tona pela primeira vez quando ele ainda era um bebê e mastigou parte de sua língua sem se dar conta.

Sua condição foi um problema recorrente quando ele estava crescendo.

Crianças levadas

Ele admite que ele e seu irmão, que sofrem da mesma condição genética, não sofriam as mesmas restrições que outras crianças.

”Mas meninos são assim. Eles se metem em confusões e nós meio que levávamos isso a um extremo”. Por conta disso, ele e seu irmão estavam constantemente sendo cobertos com band-aids e sendo internados frequentemente em hospitais.

”Quando éramos crianças, se quebrávamos uma perna, continuávamos a usar essa perna, apesar de estarmos com ela engessada. E, com isso, não dávamos tempo para que a perna se curasse”, relembra.

”Se você sofre tantos ferimentos assim quando criança, vai começar a sentir as consequências de todas essas lesões, como artrite nas suas juntas e problemas de locomoção”, comenta.

Exposição

A exposição no Science Museum que destaca a condição de Steve Pete e de outras três pessoas é intitulada Pain Less (Indolor).

O outro lado da moeda é Peter King, cuja história extraordinária também consta da exposição. Enquanto Pete nunca sente dor, King nunca deixa de sentir.

Ele acabou perdendo os movimentos do braço esquerdo na infância ao contrair poliomielite.

Steve Pete e seu irmão, em um hospitalSteve Pete e seu irmão tiveram vários acidentes na infância devido à condição da qual sofrem

Após um acidente, aos 50 anos, ele acabou tendo o braço amputado

Agora, 20 anos após a amputação, ele continua sentindo dores no braço que não existe mais.

King tem o que se convencionou chamar de membro fantasma. Assim como muitos que sentem um membro que foi retirado, ele sente uma sensação de dor quando se mexe e sente queimação ao longo do braço inexistente e a sensação de que seu pulso ausente estaria sendo apertado.

”Em uma escala de 0 a 10, minha dor chega a 8”, afirma King.

Pesquisa

Ele está sendo submetido a uma nova técnica computadorizada de reconhecimento de movimentos e tem feito uso de um visor de realidade virtual capaz de iludir sua mente a achar que uma imagem duplicada de seu braço direito é, na verdade, seu braço esquerdo.

Com isso, quando seu braço direito se move, em sua mente, é como se o esquerdo também repondese ao movimento.

”Após alguns minutos, meu braço fantasma esquerdo, que normalmte parece apenas estar parado ao meu lado, começa a sentir como se estivesse se mexendo e tocando em objetos, porque no meu visor eu vejo o meu braço esquerdo trabalhando”, comenta.

A realização de 30 a 40 minutos de exercício acaba aliviando a dor que ele sente consideravelmente. King afirma que após o exercício, na escala de dor que ele estabeleceu, o nível de dor é de 2, uma redução expressiva se comparada ao nível 8 que ele sente habitualmente.

Primeira senadora abertamente gay é eleita sem levantar bandeira do movimento

A democrata Tammy Baldwin tornou-se na terça-feira a primeira senadora americana abertamente gay, embora as bandeiras do movimento GLBT (Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros) não tenham sido temas centrais nem em sua campanha, nem no discurso de agradecimento feito após o anúncio da vitória.

Tammy Baldwin (Foto AP)

“Estou ciente de que serei a primeira integrante do Senado americano abertamente gay, mas não concorri nessas eleições para fazer história e sim para fazer a diferença”, explicou Baldwin, prometendo lutar por toda a classe média de seu estado, Wisconsin.

“Quero fazer a diferença na vida de famílias que estão lutando para conseguir trabalho e pagar as contas, na vida de estudantes preocupados com suas dívidas, idosos preocupados com suas aposentarias e veteranos (das Forças Armadas) que lutaram por nós e agora precisam de alguém para lutar por eles e por suas famílias.”

Baldwin, de 50 anos, derrotou o ex-governador de Wisconsin Tommy Thompson e assumirá a cadeira do senador democrata Herb Kohl, que se aposentou após quatro mandatos.

Trajetória

A democrata manteve uma relação de 15 anos com a advogada Lauren Azar, de quem se divorciou em 2010.

Em 1998, ela tornou-se a primeira candidata abertamente gay a ser eleita para a Câmara dos Deputados (embora outros deputados já tivessem se declarado homossexuais depois de assumir o cargo). E nos anos seguintes, foi reeleita sete vezes (nos EUA há eleições para deputados a cada dois anos).

A vitória de Baldwin foi celebrada pelos movimentos de defesa dos direitos homossexuais nos EUA como um passo importante para ampliar a diversidade da composição do Senado e ajudar na defesa de suas bandeiras na Casa.

A senadora eleita de fato sempre defendeu causas do movimento, como a legalização do casamento gay e o repúdio à chamada política do ‘não pergunte, não conte’ nas Forças Armadas dos EUA, mas esses temas não chegaram a ser centrais em sua campanha pelo Senado.

Badlwin ganhou o eleitorado prometendo lutar contra o desemprego com estímulos a investimentos em infraestrutura, educação e pesquisa. Ela também prometeu ajudar a levar adiante as reformas no sistema de saúde americano iniciadas na gestão Barack Obama e procurou caracterizar seu opositor como o “candidato dos ricos”.

Controle do Senado

Todd Akin (Foto AP)Todd Akin perdeu a disputa pelo Senado após fazer declarações polêmicas sobre estupro

Os democratas mantiveram o controle do Senado dos EUA nas eleições de terça-feira, com vitórias em disputas apertadas em Massachusetts, Indiana e Virgínia. Mas os republicanos também conseguiram manter sua maioria na Câmara dos Deputados.

No Senado, a vitória democrata foi facilitada pela derrotada de dois republicanos que fizeram comentários controversos sobre “estupro” e “aborto”.

Um deles foi Richard Mourdock, candidato por Indiana, que defendeu em um debate que uma gravidez após um estupro seria “algo que Deus queria que acontecesse”.

Candidato do movimento ultraconservador Tea Party, ele perdeu a disputa por uma vaga no Senado para o democrata Joe Donnelly, apesar de ter começado a disputa como favorito.

Outro republicano derrotado após fazer declarações polêmicas nessas áreas foi o deputado e candidato ao Senado por Missouri Todd Akin, que disse, em uma entrevista, que os corpos das mulheres são naturalmente capazes de evitar gravidez caso elas sejam vítimas de um “legítimo estupro”.

Polêmica

O deputado foi questionado se acreditava que o aborto deveria ser proibido mesmo quando a gravidez fosse resultado de um estupro.

“Parece-me, pelo que entendi dos médicos, que isso é muito raro. No caso de um ‘legítimo estupro’, o corpo feminino tem maneiras de bloquear essa coisa toda”, disse Akin, membro da comissão de Ciência da Câmara dos deputados.

“Mas vamos supor que, talvez, esse mecanismo não funcione… Acho que deveria haver uma punição – mas é o estuprador quem deveria ser punido, não a criança.”

Até o momento da entrevista, Missouri era considerado um dos estados em que os democratas mais teriam dificuldade para vencer.

Com a polêmica, a democrata Claire McCaskill não teve muita dificuldade em ganhar a disputa com Akin. Os próprios republicanos criticaram o deputado e doadores resolveram suspender o financiamento à sua campanha.

Primeira delegacia especializada em crimes virtuais é inaugurada em SE

Unidade foi instalada no prédio da Delegacia Plantonista, em Aracaju.
‘Trabalho é interligado com polícias estaduais e federais’, diz delegado.

Caso foi registrado na Delegacia Plantonista (Foto: Fredson Navarro / G1)

Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos irá
funcionar no prédio da Delegacia Plantonista.

Sergipe agora conta com a primeira delegacia especializada em crimes virtuais. Inaugurada na última quinta-feira (02), a Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC) funciona no mesmo prédio do Complexo de Polícia Especializada, em Aracaju, e vai trabalhar em parceria com outras unidades policiais em nível estadual e federal.

Por meio da parceria entre o Banco do Estado de Sergipe (Banese) e a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a DRCC vai funcionar tanto no atendimento direto ao cidadão, como para as instituições prejudicadas por crimes virtuais, fraudes bancárias, pedofilia e crimes contra a honra. O Secretário da SSP, João Eloy, espera que com essa nova delegacia diminua-se os prejuízos causados na internet. “Até o momento não tínhamos uma delegacia nessa área, agora pretendemos ampliar a segurança e a investigação”, espera o secretário.

Para comandar essa nova unidade policial foi designado o delegado Alessandro Vieira. Ele afirma que todo o trabalho da DRCC funcionará em parceria com a Delegacia de Apoio a Grupos Vulneráveis (DAGV), Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), Polícia Militar e Civil de Sergipe e de outros estados, além da Polícia Federal.

“Apesar de recém-inaugurada, a delegacia já investiga dois casos em parceria com a delegacia especializada de São Paulo. É importante ressaltar também que todo o caso de crimes na internet vai ser investigado por essa delegacia, contudo o cidadão pode fazer sua denúncia em qualquer unidade do estado”, esclarece.

Estrutura 
Alessandro Vieira explica que os policiais que vão trabalhar na mais nova delegacia de Sergipe passaram e terão uma formação continuada em crimes cibernéticos para melhor solucionar os casos de investigação. Também ressalta que até o final do ano serão disponibilizadas ao cidadão cartilhas educativas para explicar o que é um crime cibernético e a maneira de se proteger.

“Precisamos muito da ajuda da população, no tocante a prevenção diária. De pais que estejam atentos aos sites que os filhos estão acessando, de onde deixamos cadastradas nossas senhas entre outros cuidados que fazem a diferença”, pontua.

A Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos funciona no 3º andar do Complexo de Polícia Especializada, mesmo prédio da Delegacia Plantonista, situada na Rua Laranjeiras, nº 960, Centro de Aracaju.

Morre a mulher do treinador Mário Jorge Lobo Zagallo

Alcina Zagallo foi vítima de insuficiência respiratória

Morreu nesta segunda-feira a mulher do ex-treinador Mário Zagallo, Alcina de Castro Zagallo, no Rio. Alcina, de 80 anos, estava internada havia apenas dois meses na Casa de Saúde São José, no Humaitá, na zona Sul do Rio, vítima de insuficiência respiratória.

Zagallo criou obsessão pelo 13 graças a Alcina - Celio Jr/Estadão - 04/07/98
Zagallo criou obsessão pelo 13 graças a Alcina

O corpo será enterrado nesta terça, às 13h, no cemitério São João Batista, em Botafogo. Alcina era professora e teve quatro filhos com o treinador.

Alcina deu origem à fixação de Zagallo pelo número 13. Ela era devota de Santo Antônio, cujo dia se celebra no dia 13 de junho. Eles se casaram no dia 13 de janeiro de 1955.

Preço do aluguel em SP deve começar a cair, dizem especialistas

Valor disparou nos últimos três anos.
Especialista tira dúvidas sobre economia doméstica no SPTV.

Quem procura imóvel para alugar em São Paulo se assusta com os valores. O preço disparou nos últimos três anos. Entretanto, segundo especialistas, a tendência é começar a cair, como mostrou o SPTV nesta segunda-feira (5).

Para a cuidadora de idosos Elizângela Aparecida Tobias, a notícia é ótima. Ela mora com quatro filhos em uma casa na Mooca, na Zona Leste. Em janeiro, a conta sofrerá reajuste e ela terá que pagar R$ 100 a mais por mês.

Com a queda do aluguel, esta é a hora de negociar, segundo os especialistas. O índice que reajusta os contratos desacelerou – o IGP-M. Em outubro, subiu apenas 0,02%, em relação a setembro, quando a alta foi de 0,97%. O aluguel também deve ficar mais barato porque ele está diretamente relacionado com o preço dos imóveis novos.

Vale também lembrar que quanto mais afastado do Centro, mais barato é o imóvel. O metro quadrado de um imóvel de dois quartos para alugar em Moema, bairro nobre da ZonaSul, custa quase R$ 30. Se for na Vila Maria, na Zona Norte, o valor cai para R$ 17. Na Vila Matilde, Zona Leste, sai por R$ 13.

Incentivado pela sobrinha, pedreiro de 70 anos faz Enem para engenharia

Eugênia Micheline faz a prova no mesmo prédio que o tio.
Candidato diz que esse é o começo da realização de um sonho.

Fernando Gomes dos Santos, de 70 anos, foi incentivado a volta a estudar pela sobrinha Eugênia Micheline (Foto: Gabriela Alcântara/G1)

Fernando Gomes, de 70 anos, foi incentivado pela sobrinha
Eugênia Micheline

Após passar boa parte da vida trabalhando como pedreiro em construções do Recife, Fernando Gomes dos Santos, de 70 anos, está fazendo o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), para tentar uma vaga no curso de engenharia. Ele foi incentivado pela sobrinha, Eugênia Micheline, 30, que além de fazer a inscrição do tio, está fazendo a prova no mesmo prédio que ele, na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), bairro da Boa Vista, no centro.

Para Fernando Gomes, esse é o começo da realização de um sonho. “Iniciei minha atividade profissional muito cedo, na construção civil. E como era muito pobre, comecei como peão mesmo, sem nenhum conhecimento, sem nenhuma base, apenas misturando cimento com areia. Mas ao mesmo tempo em que a gente vai vivenciando isso, também vamos aprendendo a amar a profissão. Então quando a gente toma gosto, ama o que faz, se estabelece um sonho que a gente ainda nem sabia direito que tinha, pelo menos no meu caso foi assim”, explicou.

Ele ainda chegou a cursar psicologia: “Foi há 20, 30 anos. Fiz o vestibular e cheguei a estudar até o 4° período, mas vi que não era a minha praia. Deixei de lado, e hoje estou tentando passar nessa prova, e dar continuidade a essa esperança, a esse sonho, que tenho dentro de mim”.

Apesar de ter concluído o ensino médio em 1962, ele está tranquilo para a segunda etapa de provas, que acontece neste domingo (4). “Assim como estava calmo ontem, estou hoje. Claro que a gente se sente meio desatualizado de algumas coisas, mas trazemos uma bagagem, uma experiência, que ajuda, de alguma forma, a chegar e enfrentar a prova”, disse Gomes.

Por sua vez, Eugênia diz que está prestando o Enem apenas para manter o pique. Estudante de direito em uma instituição particular pelo ProUni, não quer perder o hábito da prova. Ela afirma que resolveu incentivar o sonho do tio, com quem aprendeu muita coisa: “Ele tem muito conhecimento e está afastado do ensino há anos, mas tem muita qualidade”.

“Ele já estava desacreditado de si, mas eu pensei ‘poxa, se passei 10 anos tentando e consegui, porque ele não pode?’. Então fui lá, tive a ideia de inscrevê-lo, ele achou que eu não fosse fazer de verdade. Mas agora estamos aqui, na torcida, para que ele passe”, acrescentou.

Inep nega erro no caso das mulheres cadastradas como sabatistas no RS

Na inscrição do Enem consta que todas preservam o sábado por religião.
Estudantes alegam falta de bom senso e prometem entrar na Justiça.

Estudantes tiveram problemas com o Enem em Rio Grande, RS (Foto: Reprodução/RBS TV)

Cira (E), Juliana (C) e Emile (D) se negaram a esperar seis
horas para fazer o Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) negou neste domingo (4) que tenha ocorrido um erro no caso das três mulheres que não realizaram a prova do Enem alegando problema na inscrição em Rio Grande, no Sul do Rio Grande do Sul. Segundo o Ministério da Educação (MEC), nas fichas de Emile Madruga, Juliana Andrade da Silveira e Cira Saraiva consta que elas “guardam os sábados por motivos religiosos”.

Ainda segundo o MEC, como se tratam de inscrições especiais, todas receberam uma ligação do Inep dois dias antes do primeiro dia de provas para confirmar as informações que estão na ficha de inscrição. Somente Emile Madruga confirmou ter recebido o telefonema. A estudante garante que negou ser da religião adventista. Mesmo assim, quando chegou para o primeiro dia de provas no sábado (3), foi informada que precisaria esperar até 19h30 para iniciar o teste. Agora, ela promete procurar a Justiça

“Posso ter me enganado ao preencher a ficha de inscrição. Não me lembro de ter colocado nada em relação a isto. Mas quando me ligaram para confirmar, eu disse que era evangélica, que tinha ocorrido um engano. Eu não guardo sábados por motivos religiosos. Nunca fiz isto. Vou entrar na Justiça. Foi um ano de estudos jogado fora”, reclamou.

A estudante Juliana Andrade da Silveira também não lembra de ter marcado na ficha de inscrição que, por motivos religiosos, não poderia fazer a prova antes do sol se pôr no sábado. No entanto, ela garante que não recebeu ligação de confirmação do Inep.

“Não vou garantir que não tenha me enganado ao preencher a ficha, mas eles nunca me ligaram para confirmar nada. Sou católica. Jamais colocaria que sou de outra religião”, disse Juliana da Silveira.

Situação parecida é a de Cira Saraiva. Ela também afirma não se lembrar de ter marcado a opção na ficha de inscrição e garante que ninguém ligou para confirmar se ela era da religião adventista. A estudante de 36 anos reclama da falta de bom senso por parte dos organizadores, que não permitiram que ela fizesse a prova no horário normal.

“Sou católica. Vou a missas, participo de cultos. Eles não me ligaram para confirmar nada. Bastaria um pouco de bom senso, pois já que os estudantes adventistas não poderiam sair da sala mesmo antes das 19h30, poderiam ter me deixado fazer a prova. Houve um erro. Saí sozinha da cidade de São José do Norte. Vim apreensiva. Não tinha condições de ficar das 13h até 19h30 sentada e ainda ter que fazer uma prova cansativa como a do Enem”, reclama.

Cira Saraiva diz ainda que na prova do Enem de 2011, seu nome e o número da identidade estavam errados. “O MEC pode errar que temos que dar um jeito. Agora nós não podemos ter cometido um engano que ninguém dá outra chance pra gente. Sem dúvida que faltou bom senso neste caso. Agora vou ter que me preparar de novo para o próximo ano”, lamenta.

Acidente com motos é apontado como problema em Uberlândia, MG

Nos seis primeiros meses deste ano foram registrados 2150 acidentes.
‘É o problema que precisamos dar mais atenção’, diz Corpo de Bombeiros.

Motociclista foi arrastado 20 metros (Foto: Hismênia Keller/G1)

Acidentes de moto serão alvo de prevenção

A prevenção de acidentes envolvendo motocicletas será o foco do Corpo de Bombeiros de Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Os problemas de cada região do Estado de Minas Gerais foram definidos durante uma reunião com os comandantes da corporação sobre a primeira metodologia de Integração da Gestão em Segurança Pública (Igesp) voltada aos Bombeiros. Apesar de o problema ser maior em outras regiões do estado, o comandante do 5º Batalhão de Uberlândia, coronel Felipe Aidar, afirmou que este será o alvo de prevenção no município desde já. Segundo dados da corporação, o número de acidentes cresceu e os motoboys não são os grandes vilões deste aumento.

O Corpo de Bombeiros, segundo o coronel, já participava das reuniões do Igesp realizadas pelas polícias Militar e Civil que tratavam da questão da criminalidade. “Nós vamos entrar agora na parte de proteção pública. Na reunião apresentaram os pontos relacionados ao assunto, elegeram os problemas da região e propomos soluções. A iniciativa se justifica, pois os países mais avançados investem mais nesta questão. É um processo que estamos passando que leva ao desenvolvimento econômico e social”, salientou.

Os problemas que foram apontados para Uberlândia, segundo o oficial, foram os acidentes de moto que têm apresentado crescimento na cidade. No entanto, Aidar afirmou que, na comparação com outras regiões, os acidentes envolvendo motocicletas tiveram um aumento menor. “Dentro da nossa realidade é o problema que precisamos dar mais atenção mesmo com a nossa situação, perto dos outros municípios, sendo menor”, ressaltou.

Os números deste ano comparados com 2011, levantados pelo Corpo de Bombeiros, comprovam o aumento de acidentes com motocicletas no município. No primeiro bimestre deste ano, foram registrados 915 colisões envolvendo motos. Em 2011, foram 785 no mesmo período, número 16,5% maior. Nos seis primeiros meses deste ano foram 2150 acidentes, enquanto em 2011, na mesma época, foram 1930, uma variação de 11,39%.

Segundo Aidar, as colisões envolvendo motos nas avenidas Rondon Pacheco e Getúlio Vargas contribuíram para o crescimento. No primeiro semestre de 2011 foram 70 acidentes na Avenida Rondon Pacheco contra 80 no mesmo período deste ano. Na Avenida Getúlio Vargas, o número subiu de 30 nos primeiros seis meses de 2011 para 50 em 2012. “Na primeira, as obras fizeram com que o trânsito complicasse e causasse os acidentes. Para evitar estes problemas, os motoristas usavam a Getúlio Vargas como alternativa e houve o aumento lá também”, explicou.

Felipe Aidar Corpo de Bombeiros Uberlândia (Foto: Reprodução / TV Integração)
Comandante diz que motoboys não são os ‘vilões’

Em contrapartida, o comandante afirmou que na Avenida João Naves de Ávila houve uma redução significativa no número de acidentes com motos. Em 2011, no primeiro semestre, foram 51 ocorrências e, no mesmo período em 2012, 38 batidas, uma redução de 25,49%.

Causas
Os dias que destacam os maiores números de acidentes envolvendo motocicletas são a terça e a sexta-feira, no horário entre 8h e 21h. Aidar afirmou, ainda, que ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, os motoboys não são os grandes culpados pelo aumento dos acidentes. “Eles têm uma culpa, sim, mas não são os grandes vilões. Com a regulamentação, os motoboys estão se preparando para trabalhar, como a questão dos coletes que aumentam a visibilidade deles e coíbe que façam manobras arriscadas. Acabou caindo por terra o mito de que eles são responsáveis pelos acidentes”, ressaltou.

O grande problema, segundo Aidar, é que a maior parte das pessoas compra a moto com preços acessíveis. “Às vezes, comprar a moto é mais barato que tirar carteira e a pessoa dirige sem habilitação. Foram alguns casos que detectamos, mas não há um estudo conclusivo”, finalizou o comandante.

Jovem é desclassificado no Enem por fazer prova de relógio, em Goiás

Pedro tirou o relógio no sábado, mas esqueceu de tirá-lo neste domingo.
Momentos antes, garota foi desclassificada pelo mesmo motivo, em Goiânia.

Pedro Henrique Pereira, 17 anos, esqueceu de tirar o relógio e foi desclassificado no Enem, em Goiás (Foto: Gabriela Lima/G1)

Pedro Henrique Pereira esqueceu de tirar o relógio e foi desclassificado no Enem

adolescente Pedro Henrique Pereira de Souza, de 17 anos, foi desclassificado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo (4), em Goiânia. Faltando poucos minutos para a abertura dos portões, o garoto foi retirado de sala e recebeu a notícia. O motivo foi porque ele esqueceu de tirar o relógio. “Não tem fundamento porque não tem como colar com o relógio”, reclama o estudante, que não usou o relógio durante a prova no sábado (3), mas se esqueceu de tirá-lo neste domingo.

Pedro é aluno do 3º ano de um colégio estadual de Goiânia e pretende prestar vestibular para direito. Esta é a segunda vez que ele faz o Enem.  O garoto contou que já tinha feito aproximadamente 25% da prova, quando foi desclassificado.

De acordo com ele, quem o viu de relógio foi um fiscal que passava pelo corredor. “A mulher me chamou em uma sala, pediu meu relógio e disse que eu poderia voltar para a prova. Depois de um tempo, ela me chamou e disse que teria que me desclassificar”, relatou.

O aluno disse que tinha lido no edital que não poderia fazer prova usando relógio. Contudo, no início da prova, neste domingo, os fiscais da sala onde ele estava não alertaram os candidatos novamente.

Mais cedo, cedo uma jovem foi desclassificada pelo mesmo motivo. Ela saiu do mesmo local de prova chorando e não quis dar entrevista.

Após Sandy, frio faz com que milhares precisem de abrigo em NY

Dezenas de milhares de pessoas que tiveram suas casas danificadas pela passagem da supertempestade Sandy pelos EUA poderão precisar de abrigo, à medida que as temperaturas caem no país, alertaram neste domingo autoridades de Nova York.

Estragos causados pela tempestade Sandy em Nova York (Foto: Getty Images)

Cerca de 730 mil pessoas continuam sem eletricidade no Estado de Nova York

As temperaturas caíram para 4º Celsius neste domingo, e a previsão é de que cheguem a -1ºC na segunda-feira.

Casas sem aquecimento se tornarão inabitáveis, disse o governador do Estado de Nova York, Andrew Cuomo.

O prefeito da cidade de Nova York, Michael Bloomberg, estima que entre 30 mil e 40 mil pessoas estejam nessa situação.

Segundo Cuomo, moradores que até agora se recusaram a deixar suas casas poderão não ter outra opção.

Cerca de 730 mil pessoas continuam sem eletricidade no Estado de Nova York, sendo mais de 130 mil na cidade de Nova York.

No Estado vizinho de Nova Jersey, cerca de 1 milhão de pessoas continuam sem energia e enfrentam racionamento de gasolina.

Pelo menos 106 pessoas morreram nos EUA devido à passagem da tempestade, na última segunda-feira, sendo 40 delas na cidade de Nova York.

Abrigos

A cidade de Nova York instalou abrigos em áreas sem energia e distribuiu cobertores a moradores que insistem em permanecer em suas casas.

Mas Bloomberg pediu que essas pessoas deixem suas casas se for necessário.

“Você pode morrer de frio. Você pode morrer devido a incêndios causados pelo uso de velas ou fogões para aquecer sua casa’, disse o prefeito.

“Se você não sabe para onde ir, pare um policial na rua e diga, ‘por favor, me diga para onde ir’. Eles irão ajudá-lo”, afirmou.

“Mas nós temos de garantir que você estará seguro por alguns dias e que terá comida e água.”

Maratona

Os estragos causados pela tempestade provocaram o cancelamento da tradicional Maratona de Nova York, programada para este domingo.

Mesmo assim, centenas de corredores foram às ruas da cidade em corridas de improviso, para arrecadar fundos ou ajudar no auxílio às vítimas da tempestade.

Os preparativos para as eleições presidenciais de terça-feira também foram afetados.

Em Nova Jersey, os moradores desalojados pela tempestade poderão votar por email ou fax. Segundo autoridades eleitorais, eles serão designados como “eleitores no exterior”.

Bloomberg disse que está preparado para fazer todo o possível para ajudar as autoridades eleitorais nesta terça.

Uma semana após a tempestade, o governador de Nova York alertou ainda que, a partir desta segunda-feira, deve haver crescente pressão sobre o sistema de transporte público, à medida que mais pessoas voltarem ao trabalho e que as escolas forem reabertas.

Jovens ‘nerds’ dominam mercado de games em Bauru, SP

Empresas da cidade nascem de iniciativas independentes.
Unesp oferece curso especializado e atrai muitos alunos.

Empresas de Bauru no setor são compostas somente por jovens (Foto: Divulgação)

O setor de games cresce em média 7,1% ao ano no Brasil. Só em 2011, segundo dados da consultoria americana PricewaterhouseCoopers (PwC), o faturamento no país atingiu R$ 840 milhões. E em Bauru, SP, grandes e pequenos projetos vêm provando que vale a pena investir neste mercado, mesmo que de forma independente.

Na Universidade Estadual Paulista (Unesp), professores do curso de design industrial perceberam a demanda e o interesse dos alunos na área. Eles criaram o curso de game design, coordenado pelo professor Dorival Campos Rossi. “Estamos vivendo um ‘boom’ do mercado de games. Há um processo de gamification, ou seja, os processos de comunicação se tornam jogos”, explica.

E a maior procura é dos “nerds”, que saõ altamente informatizados desde pequenos e que gostam de apostar e, é claro, gostam de jogos”, define o professor. Os alunos são vidrados por informática e tecnologia desde pequenos. “As empresas que surgiram na cidade são de jovens, muito jovens. Mais velhos não têm o que fazer nessa área”, brinca Dorival. 

Indie Games
Rafael Fantini da Costa é um deles. Ele é um dos sócios de um estúdio de games na cidade que surgiu da parceria entre três alunos do curso de design da Unesp. Depois de vencer o Imagine Cup 2008 – a maior competição mundial de tecnologia para estudantes –, na categoria para desenvolvimento de games, os três decidiram investir o dinheiro da premiação em uma empresa.

“Faz tempo, mas a gente lembra como se fosse ontem. Começou de uma maneira bem indie. Nasceu do nosso desejo como estudante de fazer games, mas o problema é que aqui não tinha oportunidades. Então procuramos como começar”, conta.

E tudo começou com os projetos da faculdade e depois se seguiu a ideia do jogo que venceu a competição. O tema era sustentabilidade e então uma mistura de “Sim City” e “Tetris”, surpreendeu os jurados e levou a melhor. Um simulador era a base para o encaixe das casas e prédios que construiriam uma cidade. “O interesse veio porque adorávamos games, todos têm um histórico de muito tempo de jogar games. A gente não sabia se gostava de fazer jogos, mas gostávamos de jogar. Tínhamos uma curiosidade e deu certo”, afirma Rafael.

Para Rafael, o mercado “indie” é forte e essencial para o desenvolvimento de games nacionais. A empresa co-fundada por ele é independente e não tem uma publicadora – empresas que produzem e incorporam jogos de terceiros. “O indie vai do esforço, pessoas que investiram do próprio bolso, não têm todo o recurso. E o pessoal gosta desse tipo de game porque a gente tem que colocar um diferencial no jogo e isso chama atenção”, conta.

Mercado de trabalho
Ao mesmo tempo em que algumas empresas surgem a partir dos games outras precisam se render a eles. Outro exemplo bauruense é um negócio que desenvolve tecnologia para ser aplicada na educação. Por conta da demanda, profissionais são contratados só para atender aos pedidos de desenvolvimento de jogos com o apelo educacional.

André Cola, gerente de educação, explica que o foco da empresa nunca foi game, mas concorda com as palavras do professor Doriva: o mercado se gamificou. “Hoje nossos clientes querem os conteúdos transformados em game. Muitas secretarias de Educação que atendemos pedem projetos do tipo e, então, desenvolvemos o jogo de acordo com a necessidade e com a orientação de profissionais da área”.

Quanto aos profissionais, ele afirma, são jovens. A empresa tem uma média de 140 profissionais que atuam como designer só no setor e, nenhum deles, tem mais de 30 anos. “São jovens dessa geração que nasceu jogando, que saíram agora da faculdade e que curtem games”, enfatiza Cola.

Rafael Fantini concorda com o perfil. “São nerds e jovens. Nossa média de idade no estúdio é de 22 anos. São 13 pessoas, desde produção, artistas, marketing. Dessas, nove são graduadas e quatro ainda são estudantes”.

Acidente com bondinho de Campos do Jordão repete tragédia de 1959

Cenário deste sábado é o mesmo de acidente ocorrido há 53 anos.
Cruz, colocada em homenagem ao motorneiro morto, permanece intacta.

Trem da Estrada de Ferro Campos do Jordão andou cerca de 30 metros fora da linha. O veículo parou ao lado da cruz de um acidente idêntico ocorrido em 1959 (Foto: Renato Ferezim/G1)

Bonde da Estrada de Ferro Campos do Jordão andou cerca de 30 metros fora da linha. O veículo parou ao lado de uma cruz, uma referência a um acidente idêntico ocorrido em 1959

Eram 17h50 de sábado (3) quando o trem partiu da estação de Santo Antônio do Pinhal. Nele, 39 turistas que haviam passado o dia em Campos do Jordão, retornavam. Segundo comerciantes do local, nenhum deles havia comentado sobre qualquer anormalidade no passeio.

Chovia e havia neblina. Cerca de dez minutos depois da partida o trem entrava em uma descida em linha reta, de pouco mais de 300 metros. Segundo os passageiros, o veículo parecia desenvolver alta velocidade. Em uma curva, a Automotriz 02 da Estrada de Ferro Campos do Jordão saiu da linha, acertou um barranco e foi levando parte da vegetação do local. Andou fora da linha por pouco mais de 30 metros e parou exatamente ao lado de uma cruz de pedra.

A cruz é uma homenagem ao motorneiro – condutor do bondinho – Benedito da Silva, morto em 1959 em um acidente idêntico, ocorrido no mesmo local. “O trem veio em alta velocidade e desceu muito rápido. Machucou muita gente e morreu o motorneiro”, diz Geralda dos Santos, de 60 anos.

Geralda dos Santos se recorda de acidente semelhante ocorrido em 1959, na Estrada de Ferro Campos do Jordão (Foto: Renato Ferezim/G1)
Geralda dos Santos lembra de acidente semelhante
ocorrido em 1959. 

Geralda não estava no trem neste dia, mas a cunhada, que morava no Rio de Janeiro, fazia o passeio pela primeira vez. “Ela ficou muito tempo depois com problemas de saúde devido ao acidente. Faleceu um tempo depois”, diz a moradora em Santo Antônio do Pinhal que quando soube do acidente resolveu visitar o local.

Mesmo após o acidente deste sábado, a cruz de pedra permanece intacta. Ao lado dela está uma queda d’água e uma ribanceira. Se o trem tivesse seguido mais alguns metros, a tragédia poderia ter sido maior.

Brasil perde bilhões de reais com crimes cibernéticos

Crime cibernético

Com o espaço cibernético, todos os tipos de informações passaram a ser acessadas e compartilhadas em tempo real e em alta velocidade. Por um lado, a rede proporcionou avanços inestimáveis, mas no âmbito criminal, o advento da internet trouxe problemas. Desvios de dinheiro em sites de bancos, interrupção de serviços, invasão de e-mails, troca e divulgação de material de pornografia infantil são apenas alguns exemplos de crimes que não precisam mais ser executados na calada da noite. Tudo pode ser feito a qualquer hora, de qualquer lugar do planeta. Basta um computador conectado à internet.

De 1995 até hoje, quando o acesso à internet passou a comercializado no país, os crimes via rede mudaram de escala e de volume, porém o dinheiro ainda é o principal atrativo para os criminosos. Um estudo divulgado, no mês passado, pela Norton da Symantec, aponta que os prejuízos com crimes cibernéticos somaram R$ 15,9 bilhões no Brasil no último ano. Especializada em segurança de computadores e proteção de dados e software, a empresa ouviu 13 mil adultos, com idade entre 18 e 64 anos, em 24 países, sendo 546 brasileiros entrevistados. De acordo com o estudo, calcula-se que 28,3 milhões de pessoas no Brasil foram vítimas de algum tipo de crime cibernético. Cada uma teve prejuízo médio de R$ 562.

O montante aferido pela empresa é mais de dez vezes superior ao prejuízo de R$ 1,5 bilhão registrado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) em 2011 com esses crimes, com crescimento de 60% em relação às fraudes em serviços bancários via internet e celular, em transações de call center, cartões de crédito e de débito registradas em 2010.

Do total, R$ 900 milhões foram perdidos em golpes pelo telefone e em pagamentos com cartão de débito e de crédito usados presencialmente. As fraudes na internet e no mobile banking, ações praticadas por hackers, custaram R$ 300 milhões. Para os golpes com uso de cartões de crédito pela internet, estima-se o mesmo valor (cerca de R$ 300 milhões). A entidade calcula que as perdas com esses tipos de crimes chegaram a R$ 816 milhões somente nos sete primeiros meses de 2012.

A Polícia Federal (PF) está de olho no que acontece na internet. Desde 2003, a PF tem uma unidade que cuida da repressão aos crimes cibernéticos. Pensando nos grandes eventos que o país vai sediar, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas, ganhou força este ano com a criação de um centro de segurança cibernética. De acordo com o delegado responsável, Carlos Eduardo Miguel Sobral, o desafio da PF é combater ataques que podem levar a um apagão de acesso à rede mundial de computadores no país.

O Brasil não tem histórico de ataques por quadrilhas estrangeiras. Por aqui, os criminosos, em geral, são de classe média alta e têm entre 25 e 35 anos. “Nós temos essa característica de só sofrer ataques de quadrilhas internas, mas quando você tem um grande evento esse cenário pode mudar. Esperamos que não aconteça, mas não podemos deixar de nos preparar para isso,” explicou Sobral, acrescentando que o Brasil integra todas as redes de cooperação e troca de experiências internacionais de investigação.

“Não ficamos atrás de ninguém. Estamos alinhados com outros países, como a Inglaterra, o Japão e a Coreia, que detém a tecnologia nessa área,” destacou. Em 2010, quatro operações da PF resultaram na prisão de 37 pessoas por fraudes cibernéticas . De 2011 a 2012, foram 12 ações com 140 prisões.

Dicas para evitar ser vítima de fraude bancária na internet:

1) Tenha certeza de que você está na área segura do portal do seu banco. Verifique a existência de um pequeno cadeado fechado na tela do programa de navegação. Evite atalhos para acessar a página, especialmente os que aparecem em sites de pesquisa. Digite sempre no campo do endereço;

2) Evite navegar em outras páginas ou acessar e-mails antes de utilizar o autoatendimento pela internet;

3) Não faça operações em equipamentos de uso público, eles podem estar com programas antivírus desatualizados ou preparados para capturar seus dados;

4) Não abra e-mails de origem desconhecida;

5) Não execute programas ou abra arquivos anexados, sem verificá-los com antivírus atualizado. Eles podem conter vírus, sem que os remetentes saibam disso;

6) Solicite aos amigos que não enviem correntes por e-mail (spam). Essas mensagens normalmente oferecem facilidades promocionais, propaganda enganosa, curiosidades, mensagens de amizade e outros títulos, sempre orientando o reenvio para dez ou mais amigos, e são muito utilizadas para propagar vírus;

7) Certifique-se de que realmente encontra-se na área segura do site ao digitar sua senha de internet para realizar compras em páginas que oferecem facilidades de débito em conta.

Com informações da Agência Brasil

Arborização em Manaus passa pelos canteiros centrais, diz pesquisadora

Cultivo de jardins e espécies nativas são apontadas como ações viáveis.
Estudos objetivam evitar que erros de arborização voltem a acontecer.

Pesquisadora acredita que Avenida Djalma Batista possui potencial para ser arborizada (Foto: Girlene Medeiros /G1 AM)

Pesquisadora acredita que Avenida Djalma Batista possui potencial para ser arborizada

Alargar canteiros centrais, cultivar jardins e plantar espécies nativas são algumas soluções de arborização para as principais avenidas de Manaus. Essas são as alternativas apontadas pela pesquisadora e coordenadora do Centro de Sementes Nativas da Amazônia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Yeda Arruda.

Para a cientista, as avenidas Torquato Tapajós, Noel Nutels, na Zona Norte de Manaus, Constantino Nery e Djalma Batista, na Zona Centro-Sul, possuem grande potencial de arborização.

“A maioria das principais avenidas possuem canteiro central. O que não pode ser feito é colocar concreto nos canteiros, como ocorre na Avenida Djalma Batista. É importante que se façam grandes jardins pelas ruas da cidade para que sejam feitas plantações em um futuro próximo”, afirmou a pesquisadora.

O mesmo diagnóstico vale para as Avenidas Constantino Nery e Noel Nutels. Na Avenida Torquato Tapajós, o primeiro passo, segundo ela, é colocar grama na extensão do canteiro central. “Sem precisar fazer grandes obras, dá para realizar algumas ações que dão resultado. A partir do Aeroclube até a barreira policial poderia ser feito o plantio de novas espécies”, disse.

De acordo com a pesquisadora, mudas de jutairana e pau-pretinho são ideais para a arborização de Manaus, mas ainda estão sendo feitos estudos de identificação de outras espécies que possam ser utilizadas no plano de arborização urbana da cidade.

Espécies nativas ainda são encontradas na área urbana de Manaus, segundo Semmas (Foto: Mário Bentes / Acervo Ascom Inpa)
Espécies nativas ainda são encontradas na área urbana de Manaus, segundo Semmas 

Entre os pontos positivos está a parceria entre a Prefeitura de Manaus e centros de estudos e pesquisas existentes no Amazonas. A pesquisadora Yeda Arruda destaca que esse diálogo entre instituições e a gestão municipal é fundamental para o êxito das ações de arborização da cidade.

“Muito foi feito de maneira inadequada na cidade. O plantio de palmeiras, por exemplo, é provável que tenha vindo de uma orientação sem estudo. Infelizmente, há muitas outras prioridades a serem realizadas e a arborização é algo que se faz ao longo dos anos. Os estudos estão engatinhando, mas há pesquisadores engajados na causa. É necessário que haja, inclusive, fiscalização nos novos empreendimentos imobiliários. Nesse sentido, contamos com uma estreita ligação com a Prefeitura”, declarou Yeda.

Plantio

Crianças participaram do plantio de mudas nativas na cidade.  (Foto: Divulgação/ João Henrique Vieira de Azevedo )
Crianças participaram do plantio de mudas nativas na cidade neste ano em Manaus.

Em setembro deste ano, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) iniciou o processo de arborização do Centro de Manaus com o plantio de 40 mudas no Centro Histórico da capital. Segundo a pasta, as mudas de árvores possuem mais de dois metros de altura com grade de proteção e gradil para área permeável.

As espécies pau-pretinho e ipê-amarelho foram implementadas com distanciamento médio de cinco metros entre elas. O trabalho consiste em plantar e também substituir árvores infestadas por parasitas e totalmente mortas.

Histórico desaponta

A capital do Amazonas chegou a dividir com Belém, no Pará, o título de capital da Região Amazônica com o menor percentual de arborização urbana. O estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foi divulgado em maio deste ano. Cinco meses depois, a cidade recebe algumas ações que respeitam o novo Plano Diretor de Arborização Urbana manauense.