EUA investigam mortalidade incomum de golfinhos na Costa Leste


Pelo menos 124 animais morreram em cinco estados do país desde julho.
Causa pode ser agente infeccioso, pois foram achadas lesões pulmonares.

Funcionária do Aquário de Virgínia, nos EUA, faz necrópsia em golfinho morto na terça (6) (Foto: The Virginian-Pilot,L/Todd Spencer/AP)

Funcionária do Aquário de Virgínia faz necrópsia em golfinho morto na terça (6). Maioria dos bichos foi achada na Baía de Cesapeake e nos estados de Delaware e Maryland.

Funcionária Sarah Rose recolhe amostras da pele de golfinho durante necrópsia no Aquário da Virgínia (Foto: The Virginian-Pilot/L. Todd Spencer/AP)

Sarah Rose retira amostras da pele de golfinho para avaliar morte.

Visão de cima de golfinho morto antes da necrópsia (Foto: The Virginian-Pilot/L. Todd Spencer/AP)
Funcionária responsável pela necrópsia mede golfinho morto.
 
Pelo menos 124 golfinhos da espécie nariz-de-garrafa morreram na Costa Leste dos Estados Unidos desde julho, uma mortalidade incomum que motivou investigação das autoridades federais. Os cientistas tentam determinar se a morte dos animais se deve a um agente patogênico infeccioso, já que alguns pareciam ter lesões nos pulmões.

Um “evento de mortalidade incomum” foi declarado pela “mortandade inesperada e significativa” que se estendeu aos litorais de Nova York, Nova Jersey, Delaware, Maryland e Virgínia desde o começo de julho, informou a Unidade de Pesca da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em inglês) do país.

Em julho, 89 golfinhos encalharam nas praias desses estados da Costa Leste e outros 35 foram encontrados mortos ao longo do mês de agosto.

“Vários golfinhos apresentavam lesões pulmonares”, informou a NOAA em comunicado. “As provas preliminares dos tecidos de um golfinho indicam uma possível infecção por Morbili vírus (o mesmo que causa o sarampo em humanos), embora seja muito cedo para dizer se esse micro-organismo poderia ser a causa”, acrescentou o comunicado.

No entanto, para os cientistas da NOAA, a existência de “um patógeno contagioso continua sendo a primeira causa possível”. O Morbili vírus é um gênero da família de vírusParamyxoviridae, que causam doenças infecciosas graves, como o Morbili vírus cetáceo (em golfinhos), a peste bovina e a esgana canina (que atinge os pulmões, o trato intestinal e o sistema nervoso de cães).

A maioria dos golfinhos já estava morta quando foi encontrada, informaram os cientistas. Poucos foram capturados com vida, mas morreram logo depois.

De modo geral, uma média de sete golfinhos chega até a costa da Virgínia no mês de julho, razão pela qual os 45 animais encalhados no mês passado representam um aumento significativo. “É um tema importante”, disse a porta-voz da NOAA, Connie Barclay.

A última vez que o Morbili vírus causou morte maciça de golfinhos foi entre 1987 e 1988, quando mais de 740 animais nariz-de-garrafa morreram de Nova Jersey até a Flórida.

Outras possíveis causas da morte em massa desses animais podem ser o mau tempo, colisões com embarcações e contaminação da água.

Os cientistas “não querem especular, mas não acreditam que isso seja resultado da interação com homem, e sim uma espécie de evento biológico”, disse à AFP a porta-voz do Aquário da Virgínia, Linda Candler.

Se for uma doença, pouco pode ser feito, acrescentou. “Precisa seguir seu curso”, disse Linda. “Infelizmente, não se pode vacinar uma população selvagem”, acrescentou.

Anúncios

Deixe o seu comentário ele é muito importante para nós.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s