IPT condena cerca de 300 árvores nos Jardins.


Prefeitura de SP fará inventário de árvores após período de chuvas.
Estudo mostra prejuízos causados por alagamentos.

O secretário de coordenação das Subprefeituras de São Paulo, Chico Macena, disse nesta quarta-feira (20) que a Prefeitura aguarda o fim do período das chuvas para elaborar um inventário de todas as árvores da capital. Ele adiantou porém, ao SPTV, que um estudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) condenou cerca de 300 árvores que precisarão ser retiradas dos Jardins, região nobre da capital.

“Estou em contato com a Embrapa e inicialmente vamos fazer o inventário de todas as árvores de São Paulo. Não sabemos o número exato das árvores que existem, não sabemos a situação, o estado de cada uma, se tem doenças, cupim. Faremos o levantamento para ter um gerenciamento mais inteligente, mais técnico de todas essas árvores. O IPT levantou inclusive na região dos Jardins, 300 árvores que estão condenadas, que serão retiradas logos após o período das chuvas”.

No dia 2 de janeiro, a Prefeitura de São Paulo anunciou 16 medidas para combater as enchentes, entre elas a limpeza das bocas de lobo, caçambas para tirar o lixo das ruas, autonomia para os agrônomos das subprefeituras podarem árvores. A Prefeitura diz que está colocando o plano de emergência em prática, mas que algumas medidas dependem de solução que não é possível a curto prazo.

Macena também falou sobre as enchentes nas esquinas da Rua Turiassu com a Avenida Pompeia, na Zona Oeste da cidade, que são recorrentes. “Ali tem um problema estrutural de drenagem da água. Inclusive numa parte dessas obras foram colocadas medidas mitigadoras quando foi criado um shopping e nós temos interferência inclusive com o Metrô, da fibra ótica do Metrô, da operação dos trens. Essa remoção precisa ser feita para executarem obras naquele local. Ainda vamos conviver um tempo com obras na região”.

Segundo o secretário, a Prefeitura está soltando uma licitação de R$ 150 milhões para cuidar dos pontos de alagamento na cidade de São Paulo, obras de microdrenagem. “Temos mais R$ 140 milhões para atender 24 obras de contenção de encostas em áreas de risco na cidade e R$ 640 milhões serão objetos de construção de quatro piscinões sendo dois na Bacia do Aricanduva. Além disso, o prefeito Fernando Haddad (PT) já doou pro governo do estado uma área, onde o governo vai construir um piscinão na Anhaia Melo”.

Uma pesquisa da faculdade de economia da Universidade de São Paulo (USP) revela que as enchentes causam um prejuízo de R$ 335 milhões por ano na cidade de São Paulo. Segundo os pesquisadores, cada ponto alagado na cidade gera um prejuízo de cerca de R$ 1 milhão por ano. Isso porque todas as empresas num raio de 200 metros são afetadas.

Anúncios

Deixe o seu comentário ele é muito importante para nós.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s